TOLIX

Existe apenas uma mão-cheia de projetos de mobiliário verdadeiramente icónicos, que resistem ao passar do tempo, projetos que são tão populares hoje como eram há 50, 60, 70 ou mesmo há mais de 100 anos. Projetos de design que serão sempre populares e consequentemente terão sempre procura. Algumas peças de design são imediatamente reconhecidas em qualquer parte do mundo, especialmente por aqueles que realmente apreciam o design de produto.

Um destes projetos é o Modelo A de uma empresa de mobiliário conhecida como TOLIX, que iniciou a produção de desenhos belos e vibrantes no início da década de 1920 e não parou de fazer estes modelos modernos de meados do século, desde então. O Modelo A é provavelmente uma das peças mais copiadas do mundo, mas os originais são imediatamente reconhecíveis à vista ou quando lhes tocamos.

O Modelo A, de longe o mais popular de todos os projetos de design produzidos pela TOLIX, foi originalmente produzido na década de 1920, mas começou definitivamente a atrair a atenção do mercado global de mobiliário em 1934. Esse foi o ano em que o mesmo foi incorporado nas Coleções do Vitra Design Museum, MOMA e do Centro Pompidou, tendo sido desde então, considerado uma das peças de design moderno mais vital e representativa da época de meados do século, produzida para durar em todos os sentidos.

 

Tolix e o design industrial

O projeto foi integralmente concebido por Xavier Pauchard, um francês que foi pioneiro na aplicação de metal galvanizado no mundo do mobiliário, logo após a Primeira Guerra Mundial. Uma ideia audaciosa para uma época em que a madeira era o principal material utilizado. Foi o homem que começou a empresa TOLIX (registando a marca em 1927) que por volta de 1935 já tinha sido apresentada em várias exposições da World’s Fair em todo o mundo, bem como em museus e lojas de retalho de móveis de vanguarda, em todo o planeta.

No final da década de 1950, a empresa TOLIX tinha cerca de 80 trabalhadores numa única loja e era responsável por produzir 60 mil unidades todos os anos – em que muitos deles foram a cadeira modelo A em aço galvanizado. Poucos vídeos foram e são publicados sobre a sua produção e tirar fotos não é permitido nalgumas áreas da fábrica. A pintura durável, continua a ser um segredo bem guardado, nunca tendo sido partilhado.

A empresa continuou a ser propriedade familiar até 2004 quando, por fim, foi vendida a uma senhora chamada Chantal Andriot. A compradora revitalizou completamente a marca TOLIX, apresentou projetos esquecidos ou nunca antes produzidos, desde o início dos anos 1930, esperando, desta forma, erguer a TOLIX para um nova era de prosperidade.

 

Peças de design intemporal

Com tantas pessoas fascinadas pela estética de design moderno de meados do século, mais uma vez, as cadeiras TOLIX e outras peças de mobiliário estão a desaparecer das prateleiras (por assim dizer) e a tendência provavelmente continuará a aumentar à medida que o tempo avança. Estes desenhos eram populares na altura e continuam a sê-lo hoje em dia!

As cadeiras e os bancos da TOLIX foram inicialmente produzidos para fábricas mas hoje podemos encontra-los em qualquer parte: fábricas, cafés, jardins públicos, hospitais, escritórios, cozinhas, etc. São práticos, leves, sólidos, duráveis e confortáveis, com um design “clean” e moderno, de limpeza  fácil e sem manutenção. Outra característica da marca são as cores. As cores são graciosas, modernas e adaptam-se a diferentes espaços.

Estas cadeiras ainda são feitas à mão com a ajuda de máquinas. Os acabamentos são de alta qualidade para assegurar a sua duração, a sua dureza e estética única.